O Pão da Vida – Parte I

Então Jesus, levantando os olhos, e vendo que uma grande multidão vinha ter com ele, disse a Filipe: “Onde compraremos pão, para estes comerem?”. Mas dizia isto para o experimentar; porque ele bem sabia o que havia de fazer. Filipe respondeu-lhe: “Duzentos dinheiros de pão não lhes bastarão, para que cada um deles tome um pouco.”. E um dos seus discípulos, André, irmão de Simão

Pedro, disse-lhe: Está aqui um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos; mas que é isto para tantos? E disse Jesus: Mandai assentar os homens. E havia muita relva naquele lugar. Assentaram-se, pois, os homens em número de quase cinco mil. E Jesus tomou os pães e, havendo dado graças, repartiu-os pelos discípulos, e os discípulos pelos que estavam assentados; e igualmente também dos peixes, quanto eles queriam. E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede.

João 6:5-11;35

Essa passagem relata um dos muitos momentos onde, uma multidão seguia Jesus porque viram os sinais miraculosos que ele realizará. Jesus se compadece da multidão, pois necessitavam se alimentar. Então Jesus, levantando os olhos, e vendo que uma grande multidão vinha ter com ele, disse a Filipe: Onde compraremos pão, para estes comerem?

Filipe era a pessoa certa para se perguntar, pois ele vinha da cidade próxima da região de Betsaida. Jesus usou aquela necessidade como uma oportunidade para testar ou experimentar Filipe e a resposta dele revelou o quanto ele pensava na esfera do mundo natural. Jesus pergunta Filipe: Onde compramos pão para resolver essa situação? Onde é a padaria? Onde é o lugar de origem que podemos ir para saciar a multidão?

Muitas vezes, Jesus usa os problemas do cotidianos como teste e quando isso acontece, as pessoas tem a tendência de reagir como Filipe, buscando respostas na esfera natural, que subjetivamente servem para encobrir o verdadeiro vazio do conhecimento espiritual. Outros reagem como André, que apresentou a Jesus uma resposta, que na sua perspectiva era inadequada até mesmo para um milagre, mas desconsiderando o poder de Jesus. Muitas vezes, desconsideramos o pouco que temos porque na verdade não temos de conhecimento suficiente a respeito de Deus.

A questão não era se tinham pouco, mas se o pouco mesmo sendo pouco estava nas mãos da pessoa certa

Quero conversar com vocês sobre duas características do pão da vida:

O Pão da Vida é o único alimento capaz de fazer com que o homem sobreviva de forma espiritual.

Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre

João 6:51

O pão é um alimento universal, aqui no Brasil comemos tudo com pão. Pão com manteiga pão com carne, pão com linguiça, pão de batata, pão no café, etc. O pão representa um alimento básico para homem.

No entanto. historicamente havia distinção social quanto ao tipo de pão que as pessoas se alimentavam:
Pão de sevada: Pão de pobre;
Pão de trigo: Pão do rico;

Mediante a bíblia o pão simboliza a palavra de Deus, um conhecimento eterno que não está disponível apenas para alguns, mas para todos, independente da classe social. Jesus ao se apresentar assim, estava declarando que para ele não havia distinção entre pessoas, independente do seu poder aquisitivo.
A primeira vez que apareceu na bíblia a palavra pão, foi quando Deus estava narrando as consequências do pecado do homem. (Gn 3.19)

O pecado trouxe separação entre o homem e Deus, agora o homem não teria apenas fome natural, mas também espiritual. Pois, o homem não teria mais as conversas com Deus na viração do dia, essas que o alimentavam espiritualmente e fisicamente ele teria que trabalhar para produzir o seu próprio alimento. Mas, observando ao longo da história, vemos que o homem por si só não foi capaz de encontrar saciedade em nada que não seja a vontade de Deus. Em paralelo, vemos a existência do vazio que o homem tem dentro de si, exatamente do tamanho de Deus.

A questão é que não somos seres que necessitam apenas de alimento físico, mas necessitamos de alimento espiritual. O alimento serve para trazer nutrientes para o corpo humano, quando não estamos bem alimentados sentimos fome. E o que é a fome? A fome é a evidência, da necessidade, de algo vital para a nossa vida, aquilo que nos dá combustível para sobreviver.

Se alimentar da palavra de Deus, não é uma opção para o cristão, mas uma questão de sobrevivência.

E o vazio espiritual dentro do homem e revela sua necessidade em ser suprido naquilo que é vital para a sua sobrevivência.

O Pão da Vida é Suficiente

Na conta de Filipe, ele prevê duzentos denários, para alimentar com um pão cada pessoa presente naquela ocasião. Fazendo uma conta rápida, precisariam de cerca de oito meses de trabalho e por se tratar de 5.000 homens fora mulheres e crianças, total que poderia facilmente chegar a 20.000. Um valor que era incansável a eles no momento. No entanto, o milagre revelou que Jesus não apenas é aquele que supre uma necessidade básica, mas ele tem abundância para cada um de nós, a ponto daquelas pessoas se fartaram de comer.

Jesus então realizou o milagre, mas ainda sim, aqueles homens e discípulos não entenderam o que o sinal milagroso realmente significava. Marcos revela o coração endurecido dos discípulos e o milagre era apenas para que Jesus fosse revelado a eles. Por não entenderem, após a travessia do mar da Galileia, já em Cafarnaum, Jesus se encarrega de explicar o que já deveriam ter compreendido.
Jesus se revela como O EU SOU O PÃO DA VIDA.

EU SOU, refere se a uma atribuição divina, ao declarar ser O Pão da Vida ele demonstra a sua capacidade de alimentar o homem para a vida eterna.
Jesus havia operado o milagre na manhã anterior, mas eles estavam querendo apenas o natural e Jesus em sua abundância tinha para eles alimento não apenas para o natural, mas também para o espiritual. O desejo de Jesus era que o milagre fosse apenas um meio para conduzir as pessoas a revelação de quem Ele é.

O Pão da Vida está pronto para te saciar

Ou seja, o que Jesus estava mostrando é que somente o conhecimento a respeito de quem ele é, poderá suprir o homem espiritualmente.

O verdadeiro pão da vida estava bem ali pronto a saciá-los!!

A exemplificação desse texto está na passagem:

Jesus disse-lhes: A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou, e realizar a sua obra.
João 4:34 

Em um outro momento os discípulos perceberam que Jesus há muito tempo não comia, então eles pediram que Jesus parasse um pouco e se alimentasse. Jesus, porém declarou, que o que o saciava era fazer a vontade do pai. Jesus só fazia aquilo que ele tinha visto e ouvido do pai.
O que Jesus estava dizendo era que o homem não encontra a saciedade dele no que é terreno, mas no que era espiritual.

Já aconteceu com você de, Deus falar para você pagar a conta de alguém e no momento que você se sentiu pleno, e não era soberba, você se sentiu completo naquele momento?

Ou fazer algo que Deus tenha te direcionado e no momento da obediência você se sentiu realizado?

Isso acontece porque o lugar de obediência a palavra de Deus é um lugar de saciedade plena.

Uma pessoa pode buscar saciar se em muitas coisas, mas todas elas são soluções momentâneas.
Talvez você tenha buscado realização na vida profissional, emocional, financeira e tudo que você encontrou foi prazer momentâneo. Mas chegou o tempo de você encontrar a plenitude. Salmos diz que na presença do Senhor há plenitude de alegria.
No lugar de conhecimento sobre quem Deus é, existe plenitude de Deus para você.

Para continuar lendo a segunda parte deste post, clique aqui.

Eliza Martins
Sobre Eliza Martins

Eliza Martins é mineira de Belo Horizonte, apaixonada por Jesus e casada com Hugo Nascimento. É formada pelo Seminário Teológico Carisma Matriz - Belo Horizonte / MG. Servimos ao Senhor na Igreja Batista da Lagoinha em Belo Horizonte.