A Espera em Deus Não É Em Vão

A espera em Deus nunca é em vão! Por mais que pessoas e circunstâncias tentem nos provar o contrário, nós prosseguimos confiando nAquele que é o dono dos nossos dias.

Quando lemos sobre a vida de José, vemos Deus conduzindo a história dele a um lugar específico!

Esse lugar não se tratava de um lugar pessoal que José almejasse, mas de um lugar proposital em Deus para o cumprimento de um propósito.

Deus o levantou como governador do Egito para que em um determinado momento da história a sua família da qual descenderia Israel não morresse.

Ora, Israel gostava mais de José do que de qualquer outro filho, porque lhe havia nascido em sua velhice; por isso mandou fazer para ele uma túnica longa. Quando os seus irmãos viram que o pai gostava mais dele do que de qualquer outro filho, odiaram-no e não conseguiam falar com ele amigavelmente. Certa vez, José teve um sonho e, quando o contou a seus irmãos, eles passaram a odiá-lo ainda mais. Gênesis 37:3-5

Entendendo o tempo de Deus

José recebeu um sonho da parte de Deus quando ele tinha apenas dezessete anos, ele era apenas um menino. Vemos que houve um tempo de espera até o cumprimento dessa promessa , ele tinha a idade de 30 anos quando se cumpriu o que Deus havia dito. Então, estamos falando sobre um tempo de aproximadamente treze anos de espera.

Aprendemos com a vida de José, que nem sempre quando Deus nos da uma promessa significa que ela vai se cumprir imediatamente. Muitas vezes os sonhos e as promessas de Deus levarão um tempo para que elas se cumpram, é necessário que haja um tempo oportuno para o cumprimento dessas promessas. E muitas vezes fala de um tempo oportuno não apenas para que haja a maior propagação daquilo que foi dito, mas também fala de agir pessoal no meu e no seu coração. fala de um tempo de preparação dentro de nós.

Para falar sobre a espera, precisamos entender que Deus não quer apenas realizar sonhos nas nossas vidas. Deus deseja nos transformar, para que quando os sonhos se realizarem, sejamos pessoas que tem uma postura correspondente ao lugar que foi prometido a nós.

A Imaturidade Revelada

Meninos imaturos também recebem sonhos e visões de Deus. Deus não tem problema em dar sonhos para meninos, Davi, Samuel, e tantos outros tiveram experiências com Deus ainda quando meninos. Deus não tem problema em dar sonhos para meninos pois, pois o mesmo Deus que dá um sonho se responsabiliza em conduzir o menino ao lugar da maturidade espiritual.

Quando olhamos para a vida de José, a sua imaturidade pode ser vista quando ele tenta fazer que os seus irmãos e seus pais entendessem a visão e o sonho que Deus havia dado. Imaturidade é quando precisamos da opinião de outras pessoas para respaldarem aquilo que Deus falou ao nosso coração.

Muitos acham que por terem pessoas próximas elas iram compreender o que disse. mas vamos entender que nem todo mundo vai entender aquilo que Deus falou aos nossos corações. O propósito da vida de José se cumpriria, talvez de forma menos dolorosa se ele não tivesse falado.

Muitas vezes, existem poços que entramos, prisões que somos lançados simplesmente por causa da nossa imaturidade, aqueles que por imaturidade contam uma visão, podem passar por caminhos mais longos. A palavra diz que, as mesmas pessoas as quais ele contou o sonho, foram responsáveis em lançarem ele no poço e na prisão.

De Meninos a Homens Espirituais

Ao ser lançado no poço para ser vendido como escravo a primeira coisa que arrancaram de José foi a túnica colorida, aquilo que demonstrava o amor do pai pelo filho.

Ora, Israel gostava mais de José do que de qualquer outro filho, porque lhe havia nascido em sua velhice; por isso mandou fazer para ele uma túnica longa. Genesis 37.3

A túnica que Jose recebeu de presente de seu pai, era longa, colorida e vistosa, que demonstrava o quanto ele era filho amado. Na bíblia túnica simboliza identidade.

Quando aqueles irmãos por inveja, arrancaram a túnica de José eles não estavam simplesmente tirando uma capa que estava sobre ele, mas estavam tirando dele a identidade que aparentava para as pessoas externamente o quanto ele era filho amado.

Deus de fato permitiu isso para dar a José uma nova identidade que não estivesse mais firmada naquilo que era externo, mas interno.

Que não teria somente aparência para as pessoas, mas que estivesse consolidada no sonho e na visão que Deus tinha pra vida dele.

A partir dali, Deus começou a consolidar o coração do menino para que agora ele se tornasse um homem espiritual.

Somente uma Fé que se Abalou, Inabalável É

Antes de algo ser consolidado em nosso coração, um teste precisa ser feito!

Existe uma canção dos “Arrais” que diz: “.. somente uma fé que se abalou, inabalável é..”.

Eu só posso dizer que algo é inabalável, uma vez que aquilo foi abalado e não foi destruído. Preste atenção nisso: em grande parte dos casos, Deus permitirá que sonhos e visões que Ele nos deu sofram abalos.

José foi comprado como escravo para trabalhar na casa de Potifar, como um mordomo. Provavelmente deram um banho nele e trocaram suas vestes sujas. Agora, as novas vestes que lhe colocaram mostravam que ele era mordomo e não mais um escravo a venda.

Com pouco tempo José passou a gerenciar tudo na casa de Potifar, ao ponto dele confiar tudo a José e só se preocupar com o alimento que comeria.

Mesmo nesta situação, José se posicionou sobre aquilo o que Deus mostrou para ele. Tudo estava sobre o comando de José no entanto, lhe foi restringido por Potifar que não se relacionasse com a sua mulher.

A história diz que a mulher de Potifar se apaixona por José e, injustamente, José é preso por conta da manipulação daquela mulher. Mais uma vez, uma injustiça é cometida e os planos e sonhos de Deus para José parecem que NUNCA acontecerão! Já se sentiu assim?

Uma situação como essas é frustrante! Ser lançado novamente na prisão depois de tudo o que ele passou, depois de tantas injustiças e rejeições.

Quando José estava crente que estava no caminho certo, para cumprir aquilo o que Deus dizia sobre ele, mais uma injustiça sobreveio para tentar abalá-lo.

Muitas vezes, Deus usa as “prisões” das nossas vidas como trampolins para acessarmos o lugar do propósito.

Não Negocie a Visão de Deus

É interessante considerarmos que antes do melhor de Deus vir sempre vem o bom. As vezes o bom parece ser tão bom que nos faz negociar o melhor de Deus. O bom pode parecer o melhor, mas não é o melhor. Não negocie o melhor de Deus por algo que parece ser bom!!!

Este era um momento propício para que José pudesse desistir, mas ele tinha um sonho. José carregava uma visão de Deus! É preciso entender algo:

A prisão não era o lugar onde ele abandonaria a visão, mas era o lugar onde ele seria consolidado na visão de Deus.

Ele poderia ter escolhido dormir com a mulher de Potifar e talvez o seu senhor nunca soubesse, afinal ele não sabia nem dos bens que ele tinha. No entanto, Deus estava transformando o coração do menino em um homem espiritual. Por isso, temos uma definição a ser feita:

Maturidade é o resultado do coração de filhos que não negociam a visão e nem o tempo de Deus.

Aquela mulher veio para enredar José, o espírito da mulher de Potifar vem para enredar pessoas nos dias atuais. Em troca de prazer, sutilmente esse espírito te faz negociar o sonho e a visão de Deus para a sua vida.

Receber propostas como essas nem sempre é o problema. Porque se você recebe uma proposta dessas e diz não, tudo bem. Acabou! No entanto, quando você negocia com o espírito da mulher de Potifar, você estará negociando o sonho e a visão de Deus para a sua vida.

Entenda algo:

A visão passa por abalos, não para que Deus saiba que você é bom, mas para que você saiba que aquilo que Deus colocou em você é inabalável.

A Identidade Consolidada no Propósito

Imagine José dentro daquela prisão!  A Bíblia diz que José em pouco espaço de tempo passou a administrar os presos e a liderá-los.

Um dia, o copeiro e o padeiro de faraó foram presos, pois haviam feito algo contra o seu senhor. Presos no mesmo lugar, certa noite os dois tiveram sonhos distintos, e ao amanhecer ficaram completamente tristes e intrigados, pois não sabiam interpretá-los.

José então interpreta os sonhos e transmite a mensagem a cada um deles. Conforme José falou, assim aconteceu! Quando o copeiro foi solto, José pediu para que aquele homem se lembrasse dele, pois José havia sido lançado ali injustamente.

Havia um apelo emocional por trás da fala de José: certamente ele foi abalado e confrontado nas suas emoções enquanto estava ali na prisão.

Deus vai alinhar as nossas emoções ao mesmo nível da revelação que temos recebido.

Vestes de injustiça foram colocadas sobre José quando ele foi para a prisão, mas independente das vestes, a identidade de José não estava mais firmada em algo exterior, mas naquilo que Deus dizia sobre ele.

A visão não estava mais naquilo que era externo, mas naquilo que estava sendo consolidado internamente. Esse é um dos efeitos da espera em Deus.

O José maduro não precisou sair falando a visão que Deus havia dado a ele, pois a sua postura revelava uma convicção que remetia a posição de governo que Deus havia dado a ele.

Deus usa de circunstâncias externas para que a visão que Ele nos deu passe por abalos, mas para que tenhamos convicção da nossa identidade, daquilo que foi liberado.

Aprenda a desfrutar do tempo de espera em Deus.

O Tempo Oportuno

Somente dois anos após interpretar o sonho do padeiro e do copeiro é que José lembrado!

Na verdade, havia chegado o momento onde céus e a terra se alinharam para que ele pudesse viver o sonho de Deus.

Quais foram as evidências de que os céus se alinharam com a vida e o tempo proposital de José?

  1. O menino deixou a imaturidade e passou a ser um homem espiritual.
  2. Ele passou a ter a visão consolidada no seu coração, porque viveu cada momento do tempo de espera em Deus.
  3. José não era mais menino, pois a sua identidade foi firmada e agora ele passou de menino, escravo, preso e sonhador, para aquele que revelava sonhos.

José interpretou o sonho de Faraó e se tornou governador do Egito.

Aquela que era para ser a sua queda, foi o trampolim para alcançar o propósito.

Okay! E Agora?

Quando aprendemos a esperar o tempo oportuno de Deus, somos conduzidos ao lugar de maturidade espiritual.

  • Meninos espirituais contam sonhos, homens espirituais revelam sonhos.
  • Meninos espirituais querem que outros entendam a visão que Deus deu. Homens espirituais, ajudam outros homens a discernirem a visão na vida deles.

O meu maior desejo para esse tempo de espera em Deus é que sejamos consolidados com aquilo o próprio Deus tem dito ao nosso respeito.

Se tiver que passar por abalos, nós vamos passar. Compreendendo que os abalos são necessários para que tenhamos convicção daquilo que é inabalável que habita dentro de nós.

Não deixe que as prisões da vida te façam abandonar o que Deus já disse! Pelo contrário, permita que estes lugares consolidem a sua visão.

Antes de José ser governador do Egito e liderar uma nação, foi preciso que ele aprendesse a governar as suas próprias emoções.

O propósito da espera em Deus é gerar homens e mulheres que foram transformados, experimentados e consolidados na visão de Deus.

Deus te abençoe!

Eliza Martins
Sobre Eliza Martins

Eliza Martins é mineira de Belo Horizonte, apaixonada por Jesus e casada com Hugo Nascimento. É formada pelo Seminário Teológico Carisma Matriz - Belo Horizonte / MG. Servimos ao Senhor na Igreja Batista da Lagoinha em Belo Horizonte.